Sebrae For Startups e IPT lançam parceria inédita

O Sebrae For Startups, e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) assinaram na quarta-feira, dia 23 de fevereiro, uma parceria inédita para apoiar o desenvolvimento de startups tecnológicas (hardtechs) do Estado de São Paulo. As hardtechs, também chamadas de deeptechs, são aquelas empresas que buscam resolver problemas de alto impacto por meio do desenvolvimento ou uso intenso de tecnologias complexas. Por meio dessa parceria, o IPT colocará seus pesquisadores e serviços laboratoriais à serviço das startups selecionadas, enquanto o Sebrae vai conectá-las a outras soluções do portfólio do Sebrae For Startups, visando ao seu desenvolvimento comercial.

O programa conta com diversas frentes de trabalho, como as que buscam diminuir o tempo necessário para o desenvolvimento de uma tecnologia. No Programa de Aceleração Tecnológica, a startup será orientada pelo IPT durante seis meses para agilizar o desenvolvimento de uma determinada tecnologia, podendo utilizar os serviços técnicos da instituição, e terá foco nas áreas de biotecnologia e inteligência artificial – áreas em que a instituição tem atuação de destaque. Já no Bootcamp Tecnológico, voltado para startups em estágio iniciais, as empresas poderão participar de um evento de três dias de duração com diversas atividades, painéis, palestras e mentorias com foco no desenvolvimento tecnológico.

:: Confira mais fotos do evento aqui :: 

“O Estado de São Paulo é uma referência no desenvolvimento de empresas inovadoras, especialmente em temas como biotecnologia e inteligência artificial. Com esse programa, queremos fazer a diferença na trajetória das startups paulistas que resolvem problemas de alto impacto”, afirma Wilson Poit, diretor-superintendente do Sebrae-SP.

De acordo com o diretor do IPT Open Experience, Alessandro Pansanato Rizzato, os resultados esperados são a geração de soluções com alto grau de inovação para mais de 250 startups em três anos. “Além disso, deve ocorrer o fortalecimento de comunidades de startups de biotecnologia e inteligência artificial e também uma maior aderência ao mercado das tecnologias desenvolvidas”, diz.

O IPT irá também desenvolver uma metodologia para realização de um Diagnóstico de Maturidade Tecnológica. Esse diagnóstico ajudará a compreender melhor o estágio de desenvolvimento tecnológico e comercial em que a startup se encontra. Além de orientar a startup sobre os próximos passos, a ferramenta poderá ser utilizada por agências de fomento, bancos de desenvolvimento e investidores na tomada de decisão sobre a realização de seus investimentos ou financiamentos. Por fim, será realizado estudos e mapeamentos, com destaque para o levantamento de Laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento no Estado, com objetivo de facilitar o acesso das startups a esses espaços.

voltar
Você está offline